#462: Exercício #3

projeto 462Alô, alô, pessoas! Bem vindxs a mais um #462!

Estou super corrida aqui, com a faculdade e mais mil e uma coisas, então serei bem breve neste post, tudo bem? 😀

O tema da semana passada foi:

Escreva uma história que termine com a frase: “e esse é o quarto / espaço onde isso aconteceu.”

Fiquei tão feliz! Nesta semana, recebi o dobro de e-mails com as respostas de vocês! Quem respondeu (na ordem de envio) foram o Fábio, do blog Onírico Autor, a Fernanda, do Fernanda Beziaco-WiltCarol, do Cafeteria 42 e a Samara, do blog Minha estante de sonhos. Muito obrigada pela participação, pessoal! 😀

Vamos começar:

Sinopse: “O que mais importa? Em uma noite de ausência criativa, Alberto descobre o que mais importa para o autor.”

O cursor piscava com intermitência na tela. Piscava.
Alberto o encarava com os olhos vidrados. Estático.
O cursor piscava.
Alberto o encarava.
As ideias insistiam em fugir-lhe da mente. A sensação Alberto já conhecia: desespero, seu maior medo; era o escárnio do cursor, o maldito zombeteiro.
Já não sabia se era noite ou dia, conhecia apenas o brilho do monitor. Todo o resto fora drenado pelo escuro.

Para continuar lendo o texto do Fábio, clique aqui.


Sinopse do texto da Fernanda:

Sinopse: Duas semanas antes eu estava tão bem. O Sol iluminava a casa. O lençol na cama ainda tinha o cheiro limpo da última lavanderia feita. Os meus travesseiros e os dele estavam alinhados. E o som de nosso bom humor ainda perdurava na sala. Mas agora, nada. Nada de luz, de lençol ou travesseiro. Nada de risada, sorriso, ou alegria.

Me faltava vergonha na cara e me faltava sono na cama. Os dias se arrastavam enquanto minha falta de coragem se arrastava comigo. A vida de outrora era apagada e o futuro incerto era apenas uma ilusão distante, mas o presente era todo agonia e procrastinação.

A louça se acumulava na pia, as roupas sujas no chão, enquanto o chuveiro pingava gotas malditas a cada sete segundos fazendo meus olhos ardidos e vermelhos pestanejarem afetados.

Duas semanas antes eu estava tão bem. O Sol iluminava a casa. O lençol na cama ainda tinha o cheiro limpo da última lavanderia feita. Os meus travesseiros e os dele estavam alinhados. E o som de nosso bom humor ainda perdurava na sala. Mas agora, nada. Nada de luz, de lençol ou travesseiro. Nada de risada, sorriso, ou alegria.

Para continuar a ler o texto da Fernanda, clique aqui.


Sinopse do texto da Carol:

Sinopse: Existem poucas coisas piores na vida do que o tempo que nunca volta atrás, e uma delas, é quando ele decide sempre retornar. 

Os passos ecoam lentamente pelo ambiente vazio. Ele segue devagar, com certo medo do desconhecido mais uma vez. Na vida existiam poucas coisas piores do que a própria morte em si; o esquecimento era uma delas. E por pior que parecesse, aquele lugar havia se tornado exatamente aquilo.

Uma página branca virada ao acaso, os rascunhos perdidos jogados fora por nada mais do que insensatez ou descuido. Aquele lugar era exatamente aquilo, nada mais e nada menos. Os momentos perdidos escondidos em cada corredor, deteriorando-se até tornarem-se fantasmas que correriam para o resto da eternidade entre aquelas mesmas paredes descascadas em um loop eterno do último segundo que havia os prendido ali.

Ele passou pela sala, observando os móveis que haviam restado, cobertos por lençóis sujos de poeira. O candelabro rico cheio de contornos e pingentes de vidro que imitava cristais, agora permanecia imóvel e escuro, com todas as lâmpadas queimadas.

Para continuar a ler o texto da Carol, clique aqui.


Sinopse do texto da Samara:

Sinopse: A ilusão é a maior das mentiras. A caça, o melhor dos prazeres. O sangue, o melhor dos sabores. A escuridão esconde muito mais do que os homens são capazes de ver.

– Está morta a mais de oito horas…

O detetive Kuster rodeava a cena do crime enquanto um médico legista examinava o corpo, deixado exposto sobre a cama como se fosse uma obra de arte. Era uma mulher, totalmente nua, os olhos arregalados em pavor. Suas pernas estavam afastadas e seus braços sobre a cama, esticados, lembrando vagamente a obra anatômica de Leonardo Da Vinci.

– Uma laceração na coxa esquerda, outra no seio direito… – o legista moveu a cabeça do cadáver para o lado, analisando o outro ferimento – E um na jugular…

Para continuar lendo o texto da Samara, clique aqui.

E por hoje é isso de textos, pessoal! O que cada um consegue fazer com apenas um tema continua me surpreendendo…! Tá legal que o dessa semana era mais amplo do que o primeiro, mas, mesmo assim, uau!

Agora, tcham tcham tcham tcham~! O tema da próxima semana é…!

Uma pessoa perdidamente bagunceira e outra obsessivamente organizada se tornam colegas de quarto. O que acontece?

That’s it, folks! Tema escolhido especialmente pelo meu namorado ❤ hahaha

De novo, qualquer sugestão será levada em consideração! Afinal, tudo isso aqui é para vocês que enviam os textos para mim! Não quero desapontá-los de forma alguma! A Fernanda mesmo me enviou a sugestão de poder enviar o texto pelo Evernote e eu considerarei – tenho que aprender a mexer antes! hahaha. Se alguém quiser me ajudar, estou aceitando aulas e dicas.

Para quem quiser participar, as mesmas regras da semana passada se aplicam! Os textos devem ser enviados até a próxima quinta (02/03) para o e-mail projeto462@gmail.com. Qualquer dúvida, por favor, enviem um e-mail ou perguntem pelos comentários mesmo! Além disso, também podem entrar na página específica do #462 ali em cima!

Muito obrigada, pessoal, e desculpem a pressa!

Muitos beijos!

Anúncios

6 comentários sobre “#462: Exercício #3

  1. Luniel Alof disse:

    Mas menina, antecipou a publicação? Quando vi meu link no blog da Fernanda fiquei surpreso: achei que ela fosse vidente e tivesse adivinhado meu titulo! Hahhaha
    A idéia é tão boa que ao final de um ano você poderá reunir tudo em um livro!
    Até semana que vem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s